Nota do Johnny:

A partir de hoje nosso blog volta à ativa tendo além de artigos meus e de outros coaches da Super Boss, convidados como os Rapazes do Vida de Titã, que são bons contadores de história, sabem bem do que falam e já me conquistaram só com o nome. Fique de olho aqui e dê o seu feedback nos comentários.

O Contador de Histórias

Casey Neistat realmente sabe contar histórias. Com certeza é por isso que seu canal no Youtube tem mais de 6 milhões de inscritos. Porra, seis milhões. Pra colocar um pouco de perspectiva, isso seria o equivalente a 76 maracanãs lotados. Sempre acho engraçado quando a Globo faz essa comparação, porque ao invés de realmente me dar uma noção, eu me pego tentando imaginar um maracanã do lado do outro até chegar no número – neste caso, 76. Fico frustrado porque não consigo e no fim continuo sem ter noção da dimensão que esse tanto de gente significa. De qualquer maneira, acho que acabei desviando do assunto do artigo aqui, então vamos voltar um pouquinho.

Assistindo um TEDx do Casey, eu me peguei sendo levado ao ponto da conversa sem nem perceber. Foram histórias que no seu âmbito me trouxeram a mensagem de aproveitar oportunidades. E quando ouvi a mensagem eu sabia qual eu queria passar aqui. Só espero ter um pouco da habilidade do Casey pra fazer isso mais uma conversa e menos um monólogo.

Um Sonho Transcontinental

Eu sempre quis morar fora, tanto que com 13 anos fiz uma apresentação de power point e excel pros meus pais, sobre como eu poderia ajudar financeiramente pra poder estudar um ano do ensino médio fora; mostrei que os custos não seriam altos, visto que era tudo organizado por uma ONG. Mostrei que poderia até aproveitar esse ano de colégio aqui, e que não me “atrasaria” nos meus estudos. Mostrei que iria trabalhar em uma escola de inglês e pedir que todos os meus presentes daquele ano fossem em dinheiro pros meus tios, tias e avós, pra ajudar a financiar esse sonho. Mas o mais importante, eu mostrei que era meu sonho. E eu vi a tristeza dos meus pais por não poderem me ajudar a realizar esse meu sonho.

Acertando os Ponteiros

Cara, como eu amo eles. Eles me disseram pra não desanimar, que um dia isso iria acontecer. Minha mãe me abraçou, a gente chorou e a vida seguiu. Com 19 anos essa oportunidade veio, e graças a uma bolsa do governo eu fui morar na terra do chucrute e da chimia. Antes de ir, meu irmão me deu um dos conselhos que mais impactaram minha vida até hoje. Meu irmão é 12 anos mais velho que eu, então eu sempre encarei ele como uma espécie de exemplo, um modelo que eu deveria seguir. Acho que esse é o lance com irmãos mais velhos na realidade. Ele me disse pra não voltar com um tostão no bolso e pra aproveitar as oportunidades pra fazer coisas diferentes. Então eu fui e fiz exatamente isso. Droga mano, a parte da grana tu poderia ter omitido…

Uma amizade que mudou tudo

Com alguns meses dentro do intercâmbio, eu me dei conta que a grande maioria dos brasileiros que estavam lá há mais tempo não tinham amigos alemães, que o alemão deles praticamente não tinha melhorado e que faziam tudo juntos. Porra. Eu não esperei 6 anos pra não conhecer outra cultura, pra não aprender outro idioma, pra não fazer amigos de outros países. Eu me lembro que o Felipe, um amigo meu de Curitiba, durante nossos 2 meses de curso de alemão obrigatórios falava muito do colega de apartamento português dele.

Um tal de João, que com 2 semanas na Alemanha já tinha dado um beijo triplo, levado mais de duas gurias pro apê (a única guria que eu tinha estado era minha ex namorada de 3 anos) e abordava gurias na rua, DE DIA. Eu ficava embasbacado com as histórias. Como assim ele chegava nas gurias durante o dia? O que ele dizia pra elas? Isso não é normal, ninguém faz isso. Eu preciso conhecer esse cara.

Não muito tempo depois das histórias, o Felipe organizou uma festa na casa dele e eu fui. Pensei bom, vou ir e aproveito pra conhecer o português. Não entendi metade do que ele falou quando conversamos a primeira vez. Falamos todos a mesma língua o cacete!

O João se tornou um irmão. O melhor amigo que tinha tido até então. Ele me introduziu ao pick-up, ao game. Me mostrou os benefícios de práticas de mindfulness (como meditar), me deu dicas quanto ao desenvolvimento da minha capacidade física e livros que eu deveria ler. Introduziu-me muitos dos caras que considero até hoje meus mentores.

O Que Aprendi na Alemanha

Eu aproveitei a oportunidade, mantive a cabeça aberta a ideias completamente novas pra mim e escolhi ter o João como amigo. Talvez não seja o segredo da vida, mas esta combinação de mindsets que listarei logo aqui abaixo mudou a minha. Eu estou nessa jornada pra me tornar minha melhor versão graças a isso, e espero ter influenciado você, nesta conversa, a ter estas mesmas atitudes com a sua vida, pois por experiência própria sei que vão ajudar você no seu propósito, seja ele qual for. E é esta mensagem que eu queria passar pra você:

-Busque novas oportunidades e aproveite elas quando aparecerem;

-Mantenha a cabeça totalmente aberta a novas ideias e experiências;

-Escolha amizades que te obriguem a se tornar melhor constantemente (mas hey, você também tem que ajudar seus amigos na mesma medida!)

Gabriel

Vida de Titã

facebook.com/vidadetita

youtube.com/vidadetita