Socialização: A Pressão Social E O Quanto Te Reprime

Ao estarmos em ambientes sociais desconhecidos ou incomuns para nossos costumes, a mente entra num processo instintivo de produção de pensamentos, digamos, autoprotecionistas, que não são nada mais do que um padrão de ideias com enfoque em sua preservação (aquela velha história de garantir a sua sobrevivência em lugares “hostis”).

O problema é que esses pensamentos muitas vezes não condizem com o real perigo oferecido por tal ambiente, que quase sempre ele é nulo. Se deixando levar por eles criamos uma tendência negativa onde, no fim, você se torna ansioso.

Exemplos destes pensamentos são famosos. Será que minha roupa tá legal? Por que aquele cara tá me olhando? O que eu tô fazendo aqui? Eu não me encaixo aqui…

Você já teve esses pensamentos?

Quando Somos Tomados Pela Mente

O que acontece? Você é controlado por um estado emocional que se apodera do seu ser, gerado por aquele padrão de pensamentos preservadores. Você se torna um fantoche das emoções do momento, dando ao grupo um valor maior do que a você mesmo.

A questão aqui é se você vai se deixar ser afetado por estes padrões sociais, permitir com que seu comportamento seja alterado, reprimido, de certa maneira.

Uma Mudança De Foco

Se acalme.

Respire fundo.

Racionalize.

Escolha não entrar na “vibe” da sua ansiedade ao focar sua atenção na realidade.

Isto vai lhe ajudar a combater a distorção que é feita internamente pelos pensamentos e estados emocionais causados pela situação social.

Que tal ver sob outros ângulos? Do mesmo jeito que isto te acontece, os outros caras no local, seus amigos, as mulheres, também têm medos e ansiedade, expectativas pessoais e também têm que enfrentá-los. Em vez de se prender a ficar pensando em quem está te notando, quem você vai cortejar, e se você experimentasse ser cortejado pelas mulheres? Permitir que elas e as demais pessoas olhem o quão interessante você é? É só tirar um pouco da responsabilidade dos seus ombros, se curtir. É uma escolha…

Ficando Presente

Entretanto, é claro que não é assim tão simples, apenas escolher não ser afetado e como um robô fazer as sensações indesejadas sumirem. De fato, a influência e os efeitos da pressão social são tão poderosos que em um estudo do psicólogo e diretor do Centro Para o Estudo de Processos Grupais (Centre for the Study of Group Processes) na Universidade de Kent, o professor Dominic Abrams, descobriu- se que há certos padrões comportamentais gravados na mente sob os quais agimos quando estamos em grupo, em outras palavras, as pessoas em conjunto num mesmo ambiente tendem a terem os mesmos comportamentos, até mesmo diante do perigo.

É questão de esforço, prática, como qualquer habilidade. Somos afetados em diversos graus pela pressão social. Mas com dedicação podemos ir minimizando o quanto ela nos atinje. Basicamente a pressão social afeta como nos sentimos, que influencia até radicalmente o comportamento e as ações que vamos tomar adiante. Isso que tem efeito sobre como seremos vistos. Mas, treinando a consciência com pensamentos mais favoráveis  vai criar valor nos grupos em que frequentar.