Muita gente inicia uma nova fase na vida e nos próprios relacionamentos a cada dia que passa. Não sabemos sobre todo mundo, ok, mas já parou para pensar isso? Não é somente você que está aqui nesta página procurando seu desenvolvimento interpessoal que está tentando caminhar.

A vida encarrega de colocar passos novos na frente do nosso caminho por opção ou por perda. Se está aqui por opção, PARABÉNS… Mas vamos falar das pessoas que estão por perda.

Não é horrível quando você entra em uma loja e o vendedor quer vender até o ar que você respira? Muito chato ter alguém impondo até sobre o que você deve ou não pensar.

É mais ou menos assim quando você não respeita o tempo de alguém que está caminhando pós perda. Os caminhos ficam muito mais difíceis por mais que seja simples para quem vê de fora, mas se você tentar colocar-se no lugar da pessoa verá que não é.

Quantas vezes você não já percebeu que é difícil se reerguer após aquela fase do “perder tudo”? Ter alguém forçando a barra para que a pessoa melhore não é o melhor caminho nem de longe!

Vamos ser mais óbvios? Partiremos ao exemplo:
Supomos que você está imensamente interessado em uma pessoa que acabou de sair de um relacionamento longo, daqueles desgastantes onde tem aquele vai e volta numa tentativa frustrada de resgatar os valores que jamais se reerguerão (olha como fui profunda e pesada agora). Óbvio que a pessoa em questão está com uma ferida aberta e com os dois pés atrás com qualquer outra tentativa de relacionamento. Ainda mais se este tiver sido recheado de agressões verbais e psicológicas (fui pesada de novo, mas todos nós conhecemos ou passamos por alguma situação onde a pessoa falava tanto dos defeitos ou os inventava, que a dor da possibilidade de você ser um merda, magoava).

Por mais que você seja uma pessoa com bons ideais e ótimas iniciativas para resgatar a auto estima dela, nada vai adiantar.

“Poxa, Motoko… mas o que eu faço agora?”- Simples. Use o fato de você ser um porto seguro.
APRENDA a ser uma pessoa confiável em todos os pontos e mostre-se presente. Vista a máscara do “estarei aqui quando precisar” até que ela seja parte sua.

Serve apenas para essa vertente de interesse em outro alguém? Claro que não!
Essa é uma ótima atitude para você levar na sua vida eternamente. Você aprenderá a ouvir melhor as pessoas e a engrandecer-se por dentro.

Ser nobre na alma conta muito mais do que você fingir ser interessado em algo. Quando se aprende que o tempo dos outros não é o seu tempo, você consegue até suportar aquele seu amigo de trabalho/faculdade/curso que parece que não aprende nunca com os próprios erros.

Exercite seu poder de cativar segurança:

-Converse com alguém que esteja passando por alguma perda (relacionamento, emprego longo, briga com amigos..). Em vez de você citar exemplos o tempo todo, escute a pessoa, olhe-a nos olhos ou para ela prestando atenção em tudo. Pergunte mais sobre o assunto em que ela está falando em vez de citar exemplos seus.

Se a pessoa chorar, não peça para parar. Ela sabe o que tem.

— Jéssica Motoko

Argumente com ela sobre o ponto que acha que dá para superar.

Faça-a rir com alguma coisa.

Quando a conversa ficar um pouco mais calma, diga que estará sempre disposto a ajudar quando precisar.

Isso, meus caros, não é ficar na (odeio este termo) friendzone. É simplesmente se mostrar um ótimo ouvinte e uma pessoa que se preocupa com o bem estar do outro.

Mostre-se diferente.
Be a Super Boss

 

Porto Seguro: Como ter Relacionamentos Mais Saudáveis
Reader Rating 1 Vote
9.8