Hoje de tarde um ex namorado meu veio me perguntar pelo Whatsapp por que eu o trato da forma que trato.

Por que seria diferente? A gente trata as pessoas de acordo com como elas no tratam, correto?
Errado. Muito errado.
Quantas vezes nós já não nos queixamos porque alguém nos trata mal sem motivo ou que alguém não nos dá de retorno a importância que oferecemos?

Inclusive os problemas.

Quando eu era adolescente, ouvia muito os mais velhos falando que “as coisas são do tamanho da importância que a gente dá”. Óbvio que eu achava um absurdo.

Até amadurecer mais.

Deixamos pra lá algumas coisas, não porque nos forçamos a estar com a elevação espiritual de um monge- porque está na moda ser deboas-, mas sim porque você definitivamente não liga pra certas coisas.

Com o tempo você aprende a dar espaço para o outro tropeçar sozinho, aprende a não revidar tudo, aprende a não se meter, aprende a reconhecer um arrependimento.
No mais, aprende a perdoar e pedir perdão.

Isso por que?

Porque você não tem mais saco e nem tempo pra perder remoendo coisas do passado.

Quando se quer tocar a vida pra frente, nada do passado te prende.

Por que comecei o texto falando do meu ex? Porque realmente aconteceu.
Certamente a maioria já imaginou que fosse um tratamento ruim, algo hostil e cheio de brigas.
Bom, não é.
Claro que nossos erros e desavenças que fez com que o relacionamento rompesse, foi doloroso. Mas e a amizade? A cumplicidade e os risos?

A dúvida do meu ex se deu porque o trato bem. Quero o bem dele.
Acredito que ele deseje isso pra mim também e ficaria muito feliz se todo mundo tratasse todos assim.

Leve isso na sua alma. Leve isso para o seu crescimento.

Você é a única pessoa que se permite sofrer.
Você é seu veneno e sua cura.
Só depende de você se desprender do que te faz mal e começar a andar.

A gente envelhece e tudo fica mais difícil no caminho. As pedras que encontramos são cada vez maiores. Mas em vez de perder tempo quebrando elas com martelinho de carne, a gente vai escalando de pouco em pouco sem estardalhaço.

Está sem paciência? Bem vindo ao nosso mundo.
Grite meia dúzia de “foda-se”, brinque com um cachorro ou tome um banho de mar.
Esfria a cabeça.

Vai por mim, nada é melhor que encher a boca e dizer: DEIXA ESSA PORRA PRA LÁ. TO NEM AÍ.
-e ser real.

Olhar na cara do seu problema do passado e não entender por que te afetava, não querer falar de algum assunto porque não te interessa (ou até falar dele sem despertar nenhum sentimento ruim).

Nada, absolutamente nada é mais gostoso que a sensação de liberdade emocional.

Permita-se.